Práticas Quaresmais X Formação Humana

Festival on-line de música “Esperança em Canções” alcança a marca de 80 mil votos
2 de julho de 2020

 

É provável que muitos de nós já ouvimos ou dissemos: sou uma pessoa boa, não faço mal à ninguém…
O que essas práticas tem à ver comigo?
A liturgia de hoje nos pede para viver de uma maneira mais intensa:

ORAÇÃO, JEJUM E CARIDADE

Como podemos pensar em nossa formação humana a partir dessas práticas?

Vamos tentar fazer uma ligação entre cada uma delas.

ORAÇÃO x ENCONTRO COM DEUS: Todos nós somos filhos de Deus, somos criados por Ele e somente poderemos nos completar se estiver cada vez mais unidos à quem nos criou. Não podemos viver como se não existe o nosso criador, pois não existe sentido da nossa existência.
E uma forma de estar unidos à Deus é através da ORAÇÃO, é a conversa com Ele, o diálogo mais importante, desabafar, conversar sobre nossos sonhos, para que estejam unidos aos sonhos de Deus, Devemos estar unidos à videira conforme Jo 15, 5-6 “Permanecei em mim e eu permanecerei em vós. O ramo não pode dar fruto por si mesmo, se não permanecer na videira. Assim também vós: não podeis tampouco dar fruto, se não permanecerdes em mim. Eu sou a videira; vós, os ramos. Quem permanecer em mim e eu nele, esse dá muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer”.

JEJUM x ENCONTRO COMIGO MESMA: A prática do JEJUM me ajuda a mostrar que eu não me basto sozinha, nao sou dependente de mim ou de algo para me saciar. o Jejum de alimento, me faz pensar que muitos impulsos podem ser corrigidos, controlados, eliminados. O Jejum quando vivido e oferecido ao Senhor tem a missão de nos fazer perceber que embora a nossa vontade peça algo, podemos fazer a nossa carne sentir essa falta, para que possamos nos encontrar com a nossa verdade.
Jesus disse que muitas coisas só podem ser vencidas com Jejum e oração. (Mt 17,21b)

CARIDADE x ENCONTRO COM O OUTRO: a caridade ou a esmola nos fazem voltar o nosso olhar para o outro, devemos tirar o foco de nós mesmos, baixar a guarda da nossa auto-suficiência e perceber que à nossa volta têm muitas pessoas que precisam da nossa ajuda, inclusive material. Dar esmolas não é fazer um favor e esperar algo em troca, é GRATUIDADE , é dar com o coração e com o bolso, por menor que seja as ajuda, lembrando que cada um dá conforme a generosidade de seu coração. Em 2 Corintios 9,7 São Paulo nos fala a respeito dessa prática: dê cada um conforme o impulso do seu coração, sem tristeza nem constrangimento. Deus ama o que dá com alegria

Por fim lembro que não devemos escolher uma ou outra prática, Jesus nos pede que essas devem ser feitas, cada uma conforme a sua necessidade.

Então viveremos os próximos quarenta dias nos relacionando com Deus, comigo mesma e com o próximo.
Sejamos generosos, quanto mais damos de nós, mais recebemos!

No final de tudo é o Senhor quem nos saciará!

 

Cristiane Schmitz Voges
Ministério de Formação RCC SC

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

X