Renovação Carismática Católica - Santa Catarina
Notícias da Igreja
 
 
15
Mai
Papa em Assis em 2020 com jovens economistas e empreendedores
Papa em Assis em 2020 com jovens economistas e empreendedores

"Será um festival de economia dos jovens com o Papa, jovens empresários, doutorandos ou pesquisadores, um meio-caminho entre Greta Thunberg e os poderosos da terra". Assim Luigino Bruni, professor de Economia Política na Universidade Lumsa e consultor do Dicastério para os Leigos, a Família e a Vida, define o evento "Economy of Francesco", programado para Assis de 26 a 28 de março de 2020, apresentado nesta terça-feira, 14, na Sala Imprensa da Santa Sé. A iniciativa foi lançada no último sábado, com a publicação da carta de apelo do Papa Francisco, dirigida "a jovens economistas, empreendedores e empresários de todo o mundo".


 


O Papa quer encontrar quem estuda e pratica uma economia diferente




O primeiro Pontífice a assumir o nome do “Pobre de Assis”, quer encontrar na cidade de Úmbria "quem hoje está se formando ou está começando a estudar e praticar uma economia diferente, aquela que faz viver e não matar, inclui e não exclui, humaniza e não desumaniza, cuida da criação e não a depreda".


A centelha que estimulou o entusiasmo do Papa foi acesa precisamente pela iniciativa de Luigino Bruni, entre os promotores da Economia de Comunhão do Movimento dos Focolares, que falou ao Papa sobre a iniciativa, como contou na coletiva Dom Domenico Sorrentino, bispo de Assis.


 


Um pacto para mudar a economia atual


E no dia 25 de abril do corrente, ao encontrar o bispo Sorrentino e o professor Bruni – revela ainda o prelado - "a ideia de enfrentar os desafios da economia motivando a juventude, encontrou no Santo Padre uma adesão entusiasta. Os jovens podem fazer a diferença. Eles são o futuro em todos os sentidos, também no futuro da economia. Um pacto com eles é vencedor”.


 


De fato, na carta Francisco pede aos jovens para “estarem juntos e se conhecerem” e depois "fazerem um ‘pacto’ para mudar a economia atual e dar uma alma à economia de amanhã”.


 


Luigino Bruni: do Papa, apoio total e presença física


"São esperados pelo menos 500 jovens, metade deles empresários com idade inferior a 35 anos e metade doutorandos nas universidades de todo o mundo, incluindo a judaica – explica Bruni -ressaltando a presença de muitas mulheres no Comitê de preparação. "Economia é uma palavra feminina, e as mulheres têm uma visão diferente dos homens sobre ela.


 


O site e o logotipo do evento


Na Sala de Imprensa foi apresentado o site já ativo, www.francescoeconomy.org e o logotipo do evento que representa, com sua forma circular e ao mesmo tempo aberta, “a conexão entre a salvaguarda do meio ambiente que não pode ser separada da justiça para com os pobres e da solução dos problemas estruturais da economia mundial".


 


A corda de três nós evoca o gesto profético de despojamento de São Francisco: "Da sua escolha de pobreza brota uma visão da economia que continua muito atual".


"Desde agora já é possível fazer as inscrições - informa Bruni - e a partir de junho será possível solicitar uma bolsa de estudos" e, assim favorecer jovens da África e da Ásia. Entre as novidades, também um Prêmio para a economia, que será concedido após a escolha de um júri formado por jovens.


 



Dom Sorrentino: Francisco participará somente no último dia



Interpelado pelos jornalistas, o bispo de Assis declarou que "daquilo que percebemos, o Papa estará em Assis apenas um dia e, com toda probabilidade, será no momento conclusivo", em 28 de março. "Mas eu não estou autorizado a dar certeza sobre isso", esclarece Dom Sorrentino, recordando que em sua carta, Francisco "não escreveu nada de preciso, e portanto, tampouco eu posso ser preciso".


 


"The Economy of Francesco", por uma economia alternativa


Será a quarta vez que o Papa irá a Assis, observa o prelado, que recorda o discurso de Bergoglio na Sala do Despojamento em 2013, e depois da carta que ele escreveu em 2017 por ocasião da construção de Santuário nascido no local em que, "com seu gesto profético", o "Pobre de Assis” realizou não um ato antieconômico, mas um ato de fundação de uma economia alternativa".


 


As iniciativas dos franciscanos em vista do evento



Padre Mauro Gambetti, Custódio do Sagrado Convento de Assis, também falou na Sala de Imprensa do Vaticano, agradecendo ao Papa Francisco pela iniciativa 'Economy of Francesco'.


"Havia necessidade de uma motivação a mais, de alguém - e quem melhor do que o Papa? - que acendesse uma chama para agrupar em torno a sua mensagem e aquela de Francisco de Assis, todos os homens de boa vontade”.


 


Entre as iniciativas implementadas pelo Sacro Convento em preparação ao evento, padre Gambetti cita a transmissão "Con il cuore" e "Il Cortile di Francesco", juntamente com um projeto de certificação de "ecologia integral", realizado em conjunto com algumas universidades italianas - a Federico II de Nápoles, a Alma Mater de Bolonha, o Politécnico de Milão e o Luiss de Roma – por meio de "uma oferta de experiências e conteúdos sobre os vários modelos de economia, com um apelo dirigido aos jovens para que se reúnam e façam nascer, compartilhando aquela que para eles seria a economia do futuro”.


 



Padre Gambetti: eu, filho de um empresário, deixei tudo
 


"Todas as três famílias franciscanas deram a sua disponibilidade em apoiar de todas as formas a iniciativa do próximo mês de março", assegura o Custódio, sublinhando como a contribuição específica dos seguidores de Francisco não é somente a de testemunhar e recomendar a "pobreza material", "mas também "a pobreza de coração, que não acaba nunca, e tem o seu ponto central na negação de si mesmo: uma espécie de grande portal que permite o acesso à fraternidade, à comunhão.


 


Quando o ponto de vista é o do pobre, todos têm o seu lugar: se está bem na fraternidade, é vivida dessa maneira e se compreende o verdadeiro significado da riqueza. Para aquele que mantém um coração pobre, também a riqueza encontra o seu significado". Conceitos que o Custodio do Sacro Convento, padre Mauro Gambetti, esclareceo ao Vatican News, falando sobre sua vocação para a vida consagrada e sua entrada no convento.



O cardeal Turkson: a economia que o Papa defende é social e inclusiva


O cardeal Peter Kodwo Appiah Turkson, prefeito do Dicastério para o Serviço do Desenvolvimento Humano Integral, que patrocinará o evento de Assis, também falou na apresentação do evento, explicando:





“ A economia que o Papa Francisco defende é uma economia social, circular, ética e inclusiva o que não deve ser confundido com uma economia socialista ”





"Economia social", na acepção de Bergoglio, significa "uma economia que tem uma referência ao destinatário: uma economia que serve ao homem, à pessoa humana, como escreve o Papa na Laudato si e na Evangelii gaudium. Uma economia inclusiva, que serve a todos os homens sem deixar ninguém”.


Fonte: Vatican News

Compartilhe está Notícia
Indique a um amigo
 
 

Copyright © 2019 Renovação Carismática Católica - Santa Catarina. Todos os direitos reservados.